Novo vídeo mostra Berg Lima, prefeito afastado de Bayeux, PB, em mais uma suposta extorsão

Gravação entregue ao MP mostra conversa com mesmo empresário visto em primeiro vídeo. Defesa do prefeito ainda não se pronunciou.

Um novo vídeo divulgado entregue na terça-feira (9) ao Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público da Paraíba apresenta uma suposta tentativa de extorsão por parte de Berg Lima (Sem partido), prefeito afastado de Bayeux, cidade da Grande João Pessoa. O vídeo foi gravado pelo empresário João Paulino de Assis no dia 30 de junho de 2017, cinco antes da prisão do prefeito afastado. O G1 tentou entrar em contato com o advogado de Berg Lima, Raoni Vita, mas as ligações não foram atendidas.

Berg Lima já havia sido flagrado cobrando uma suposta propina ao mesmo empresário. À época, o vídeo gravado pelo mesmo empresário resultou na prisão em flagrante do prefeito afastado de Bayeux no dia 5 de julho. Após ser solto no dia 28 de novembro por um habeas corpus, o prefeito afastado foi absolvido em um processo de cassação de mandato realizada na Câmara de Bayeux no dia 30 de dezembro.

O vídeo divulgado na noite de terça-feira tem cerca de cinco minutos de duração e foi gravado na sala em uma sala reservado no restaurante de João Paulino de Assis. A gravação mostra uma negociação entre o empresário e Berg Lima.

De acordo com Octávio Paulo Neto, coordenador do Gaeco, com base no depoimento do empresário, o prefeito afastado havia cobrado o valor de R$ 11,5 mil para efetuar um pagamento de uma dívida de R$ 77 mil que a Prefeitura de Bayeux tinha com a empresa de João Paulino de Assis. Conforme depoimento empresário, cerca de R$ 8 mil dos R$ 11,5 mil já tinham sido pagos como propina ao prefeito afastado.

Ainda de acordo com o MP, a dívida havia sido contraída após fornecimento de alimentos na gestão anterior a de Berg Lima. Entre as 22 páginas do processo estão anexados extratos bancários e conversas que os dois tiveram por um aplicativo de troca de mensagens pelo celular.

Segundo levantamento do MP, conforme depoimento do João Paulino Assis, o primeiro pagamento ao prefeito, no valor de R$ 5 mil, havia sido feito em abril de 2016, na casa de Berg Lima. Os outros dois, nos valores de R$ 3 mil foram feitos no restaurante. Esses dois últimos pagamentos foram justamente os dois vídeos entregues ao MP, feitos nos dias 30 de junho e 5 de julho.

O procurador-geral de Justiça do Ministério Público da Paraíba, Francisco Seráphico Ferraz da Nóbrega Filho, o novo vídeo traz elementos que já estão descritos na denúncia feita contra o prefeito no processo que tramita no Tribunal de Justiça da Paraíba referente ao primeiro vídeo divulgado e que resultou na prisão do prefeito.Berg Lima responde na justiça por concussão, crime de recebimento de vantagem indevida. O novo vídeo reforça a denúncia feita pelo MP e deve servir para avaliar possíveis casos de falso testemunho dados por testemunhas no processo.

VEJA O VÍDEO:

Fonte: G1 

 

Cecílio R. Batista

Paraibano, publicitário, instrutor de WU-SHU pela associação Brendan Lai, radialista atuante no Vale do Mamanguape, já comandou a pasta da comunicação pela prefeitura de CAPIM-PB e se mantem como presidente do partido politico AVANTE na cidade de Capim. Também é sócio diretor da GetX - Agência Web e atual diretor de marketing do Atacadão Freire - Material de construção e home center.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *