Assessor de Trump admite culpa sobre influência russa

George Papadopoulos, assessor da campanha presidencial do presidente norte-americano Donald Trump, se declarou culpado pelas mentiras acerca de suas relações com a Rússia.

O anuncio foi feito nesta segunda-feira (30) pelo procurador especial que investiga uma possível interferência russa na eleição americana, Robert Mueller.

“Através de suas falsas declarações e omissões, o acusado Papadopoulos impediu a investigação em curso do FBI sobre a existência de vínculos ou coordenação entre indivíduos associados com a campanha e os esforços do governo russo para interferir nas eleições presidenciais de 2016”, relata a acusação assinada por Mueller.

Paul Manafort, ex-chefe da campanha presidencial de Trump, se entregou ao FBI. Ele e seu ex-sócio Rick Gates, que também se entregou, foram indiciados por 12 acusações, incluindo conspiração contra os Estados Unidos, lavagem de dinheiro e falso testemunho.

A diferença é que as acusações contra Manafort e Gates não mencionam Trump ou a corrida eleitoral, mas descrevem em detalhes o trabalho de lobby de Manafort na Ucrânia. Também detalham o que os promotores dizem ser um esquema para esconder do fisco americano o dinheiro ganho com a atividade.

O reconhecimento de um crime por Papadoupolos envolve diretamente a campanha do atual presidente dos Estados Unidos com russos.

Trump reage

Trump usou sua conta no Twitter para se manifestar sobre o caso de Manafort, mas não citou o caso de Papadoupolos. O presidente americano afirmou que as acusações contra seu ex-chefe de campanha são de antes da corrida presidencial e reclamou, mais uma vez, de irregularidades da campanha da sua rival, Hillary Clinton.

“Me desculpe, mas isso foi anos atrás, antes de Paul Manafort ser parte da campanha Trump. Mas por que Hillary e os Democratas não são o foco [das investigações]?”, escreveu. “… Além disso, não há conclusão”.

No domingo(29), Trump, voltou a chamar a investigação de “caça às bruxas” e pediu que “algo seja feito” contra as irregularidades que, segundo ele, sua rival Hillary Clinton cometeu nas eleições de 2016.

“Toda essa história de ‘Rússia’ justo quando republicanos estão fazendo uma histórica reforma de corte de impostos. É uma coincidência? NÃO!”, escreveu o presidente americano.

As acusações contra dois importantes membros da campanha de Trump apontam para uma nova fase da investigação.

G1

Redação

Quer fazer uma denúncia ou ter uma matéria escrita por nossa redação? Entre em contato através do Menu "FALE CONOSCO" e conte-nos sua história.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *